quinta-feira, 28 de abril de 2011

Ponto parágrafo

                               

                                No abismo das palavras
                              
                                Tua garganta vociferou urgente

                                A despeito de não ferir-me

                                Afiaste unhas e dentes

                                Salivando minh'alma,

                                Arrancando-me a pleura.

                                E eu?


                                Je pleurs...

                                                                                        Cida

6 comentários:

  1. Se tu choras, eu choro!

    Lindo e romântico!


    Bjs.

    ResponderExcluir
  2. Elegantíssimo este poema! Muito bom!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Assis,

    Não chore,colabore....Um beijo e o meu carinho!
    Cida

    ResponderExcluir
  4. Eliana,querida

    Elegante é sempre o seu comentário! Obrigada!

    Cida

    ResponderExcluir
  5. Demais! Que mente a sua, hein? Adorei! Ótimo jogo com as palavras.

    ResponderExcluir
  6. Kátia,

    Se você gostou sinto-me animada em continuar o jogo! Um beijo! Cida

    ResponderExcluir